FERRAMENTAS

Qualidade de matérias primas empregadas e rigoroso controle de qualidade no processo de fabricação.
Pronta e entrega e prazos curtos para recebimento em todo o Brasil.

FERRAMENTAS DE PERFURAÇÃO

FERRAMENTAS DE PESCARIA

FERRAMENTAS AUXILIARES

As ferramentas fabricadas pela JUPER atendem às maiores exigências da indústria de perfuração e construção de poços. A qualidade das ferramentas JUPER é obtida através da seleção cuidadosa da matéria-prima e rigoroso controle de sua procedência, da aplicação de mão de obra com larga experiência, do criterioso e constante controle de qualidade.
 
Nossas hastes são confeccionadas em barras inteiriças e sofrem processo de alinhamento conforme norma NBR 11.294.
Os trépanos e percussores são forjados em aços alto carbono e aço-liga com adequado tratamento térmico que proporcional grande longevidade.
 
As roscas são confeccionadas por profissionais de longa experiência em equipamentos projetados e dimensionados para esta finalidade, conferidas e testadas por padrão API.
Além das ferramentas constantes neste catálogo, as quais mantemos regularmente em estoque, estamos capacitados a fabricar outros tipos conforme sua necessidade.

PERCUSSOR

É uma peça importante dentro das composições de perfuração e pescaria. Confeccionado em aço alto carbono, forjado, temperado e normalizado. Pode ser fornecido também em aço liga.
O percussor é colocado normalmente entre o porta-cabo e a haste, porém nas operações de pescaria é colocado entre a haste e o pescador. Sua finalidade é a de soltar a composição quando esta se prende.
O percussor de perfuração e os de pescaria diferem apenas no curso, alterando, por conseqüência, o comprimento e a massa.
Recomenda-se não batê-lo durante o transporte e manuseio, a fim de evitar possíveis trincas em suas pernas.
Para realizar suas funções, o percussor necessita de duas características antagônicas, sendo estas a ductibilidade e a dureza. A dureza é necessária para dar maior resistência ao desgaste nas zonas de impacto(pernas) e a ductibilidade para conferir às roscas maior capacidade de absorção dos esforços de impacto. Deste modo, quanto mais dúctil for o aço do percussor, mais as roscas serão beneficiadas, enquanto quanto maior for a dureza, maior durabilidade terão as pernas do percussor.
Para fabricar um percussor de longa duração a JUPER desenvolveu processo de fabricação com novas especificações para o aço empregado e novo processo de forjamento e tratamento térmico, conseguindo maior penetração e uniformidade da tempera nas pernas sem reflexos no pescoço da ferramenta. Este procedimento permitiu que os percussores JUPER passassem a ter maior longevidade com grande segurança contra trincas e quebras nas roscas.
Atualmente, nossos percussores chegam ao fim da vida por fadiga do material, mantendo ainda razoável material na zona de desgaste e o pescoço original para confecção de novas roscas.
Na função de perfuração o percussor é a segunda peça da composição. É composto de dois elos e tem o curso de 4.1/2”, Não possui função direta na perfuração, tendo apenas uma função de segurança.
Durante a perfuração é comum o deslocamento ou queda de alguma pedra ocasionando o aprisionamento da composição. Neste momento é que o percussor demonstra sua utilidade, pois através da percussão gerada em sua ação ascendente faz com que a composição se solte.
Uma questão importante no uso do percussor é a correta utilização do cabo de aço. Sabe-se que o excesso de cabo faz com que o percussor, quando em perfuração normal, se abra em demasia, aumentando o seu desgaste. O uso ideal seria aquele em que as pernas não se afastassem quando da descida da composição de perfuração. Cabe aqui falarmos sobre um dos fatores mais importantes da perfuração a cabo. E este fator é o cabo de aço.
Todos os conjuntos da perfuratriz que se relacionam com o cabo de aço devem funcionar em harmonia entre si e com a composição de perfuração. Ou seja, quando balancim está em seu curso descendente, a composição também. Porém, quando o balancim começa a subir, as ferramentas ainda estão descendo. Este fato ocasiona a compressão dos amortecedores na cabeça da torre e quando estes chegam ao fim da compressão iniciam o processo de volta. Como as ferramentas ainda se encontram no processo de descida, há o estiramento do cabo. E é neste estiramento, que a broca deve chocar-se com o fundo do poço.
Neste momento todas as forças atuam no sentido do retorno das ferramentas. A força de reação ao impacto no fundo do poço, a descompressão do amortecedor, a ação ascendente do balancim e o retorno do cabo de aço após o seu estiramento.
É claro que toda esta harmonia de movimentos se reflete no percussor. Quanto maior o sincronismo, menor será a abertura das suas pernas e conseqüentemente menor o desgaste. Quanto menor o sincronismo, maior será o descompasso, ocorrendo inclusive em alguns casos o impacto das pernas do percussor nos dois sentidos. Outro fator que influencia fortemente na durabilidade do percussor é a tensão provocada pelos impactos entre as pernas do percussor. Quanto menor o número e a intensidade destes impactos, menor será a tensão, diminuindo a probabilidade de trincas por fadiga do material.

© 2018 Developed by www.picxsmarketing.com

Av. Das Indústrias, 850. Cachoeirinha, RS - Brasil. CEP: 94930-230

+55 (51) 3201-1633

juper@juper.com.br

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now